Artigo nº 003 - jornalístico

Mais Rastros químicos sobre Rio e Baixada: Contudo, vai se dissipando o mistério!


13/01/2012 - E os aviões a jato não páram de circular pela Baixada Fluminense, espargindo seus rastros químicos (chemtrails). A intensa atividade é facilmente visível nos céus daqui no dia de hoje, desde muito cedo. O céu que começou nublado, abriu grandes áreas de sol e por volta das onze horas um vento rápido surgiu. As ações de chemtrails ocorrem há vários dias consecutivos por estas bandas. Como já afirmei em outros dois artigos, essas ações tem ocorrido em quase todo o mundo. Mas, recentemente, descobri três sites altamente esclarecedores e que retiram definitivamente o véu de mistério que cercavam os chemtrails, são eles:

1) http://foodfreedom.wordpress.com/
2) http://artedeomissao.wordpress.com/
3) http://agriculturedefensecoalition.org/

Uma notícia obtida em 'Food Freedom' e traduzido por 'artedeomissao', intitulada 'Projecto de lei para banir chemtrails', reproduzo a seguir para que você fique mais esperto em relação às questões globais e possa assim pensar em se defender. Se preferir vá diretamente ao link: http://artedeomissao.wordpress.com/2011/12/08/projecto-de-lei-para-banir-chemtrails/. Ei-lo:

'Projecto de lei para banir chemtrails'

Ontem, 6 de Dezembro 2011, o governo do Condado de Suffolk, em Nova York, realizou uma audiência pública sobre uma proposta para a proibição da pulverização aérea de óxido de alumínio, bário, enxofre e outros sais para a atmosfera sobre o Condado, sem antes preencherem uma declaração de impacto ambiental, e sem antes da eventual aprovação do departamento dos serviços de saúde do condado, divisão de qualidade ambiental.

omissão

Na proposta, estão isentas, as operações de pulverização de aerossois para a agricultura, para as doença de lyme, encefalite equina Oriental (EEE), vírus do Nilo Ocidental (WNV) e outras operações de controle do vetor de doença.

Se o público for capaz de convencer os legisladores do risco das operações da geo engenharia, a legislação será, de seguida, votada na sessão de 20 de Dezembro. Caso contrário, a proposta de proibição irá ser apresentada indefinidamente.

O projeto de lei foi iniciado por Cindy H e seu marido Jim, Siobhan Ciresi de Long Island Sky Watch (LISW) e com a assistência da grande adversária dos chemtrails, Rosalind Peterson da Coligação de defesa da agricultura, e finalizado e proposto pelo legislador Edward P. Romaine (1st District).(Texto completo abaixo.)

Envolvido no governo do Condado de Suffolk desde 1989, Romaine é um conservador fiscal que prioriza a poupança das terras agrícolas e a proteção do ambiente.

“Se esta proposta se tornar lei no Condado de Suffolk, Long Island, será a primeira na nação e será um ponto de partida para outros nos seguirem” disse LISW num comunicado de imprensa. “Eventualmente, os nossos governos terão que investigar o porquê das nossas árvores estarem a morrer em grande número, o porquê das nossas águas conterem níveis tóxicos de alumínio, bário e estrôncio, o porquê de 90% de nós termos deficiências de vitamina D, o porquê das nossas culturas estarem a falhar e de onde vem este clima louco”.

Cindy Pikoulas da LISW informou na New York Sky Watch radio, a 20 de Novembro, que várias amostras de árvores de Suffolk apresentaram níveis elevados de bário, estrôncio e alumínio. Ela pediu que todos fizessem testes às suas árvores e águas, de forma a serem construídas as evidências que irão estimular as investigações pelas autoridades de saúde e ambientais.

Fonte:http://foodfreedom.wordpress.com/2011/11/24/suffolk-co-ny-to-hear-proposal-to-ban-chemtrails/

############## (Segue comentário do tradutor)

Infelizmente em Portugal, a maioria das pessoas já não têm o hábito de olharem para o céu. Estas pulverizações também ocorrem nos nossos céus. E como já referi em vários artigos, não são rastros de aviões (provocados pela condensação). Os Chemtrails, alargam e permanecem no céu por horas. No final destas operações, podemos ter o céu coberto com uma película branca (quase metalizada) muito fina ou por “nuvens”, que pelo facto de estarem presentes nos nossos céus à vários anos, o nosso cérebro interpreta-as como tal. Mas não nuvens geradas pela mãe natureza.

O artigo termina aqui. Até a próxima prezado leitor.

Renato Fialho Jr.