Artigo nº 011 - teórico

Carta à população sobre a greve 2013


15/09/13 - Venho através dessa carta demandar que você apóie os profissionais da Educação em Greve desde o dia 8 de agosto de 2013! E por que continuamos em greve? A nossa greve não é só por uma questão salarial! Lutamos contra a destruição das escolas públicas efetuada pelo governo Sérgio Cabral! Para nós, não se trata de uma questão eleitoral, embora saibamos que para alguns setores que atuam no SEPE essa seja a questão mais importante!

Para a maioria de nós incomoda o fato do fechamento das escolas e da destruição sistemática e planejada do ambiente escolar! As direções de escola perderam sua autonomia, pois o governo retirou as direções que faziam uma política democrática dentro das escolas e as substituíram por gestores. Gradualmente as funções dentro das escolas estão sendo terceirizadas (empregos mal-remunerados e isentos de direitos constitucionais fundamentais) e a população impedida de concorrer a esses empregos, que foram extintos!

Estamos lutando por você! Mas, queremos que você não só nos compreenda, mas que tome essa luta como sua, pois de fato é. Queremos a sua participação efetiva, pois acreditamos que só assim poderemos BARRAR esse processo em troca de um projeto de escola discutido com a população!

O governo tem dito que nós somos 'vagabundos', 'que não gostamos de trabalhar'. MENTIRA! Queremos as condições de trabalho que perdemos para poder realmente educar os vossos filhos! O governo diz 'que nosso discurso é ideológico'. VERDADE! Mas o do governo também é. Trata-se de um discurso ideológico do pior tipo, pois que é o discurso dos grandes capitalistas e empresários! A nossa ideologia é a realização do bem-comum!

De fato, não gostaríamos de seguir sozinhos nessa luta! Pedimos o seu apoio: alunos, pais de alunos e população em geral!

Talvez você não saiba, mas o governo tem punido várias centenas de profissionais, expondo-os ao constrangimento ao levá-los à sindicâncias e punições, reutilizando leis do tempo da funesta ditadura militar que foi imposta de fora pra dentro do país pelos ianques!

Não tememos as punições! Elas só existem para nos colocar medo e nos congelar! Queremos proteger o nosso emprego público e melhor servi-los. Lutamos pelo direito de nossos alunos e pais de alunos de terem uma escola pública, digna, de qualidade e gratuita! Nossas escolas estão sendo fechadas por Risolia e CIA ou destruídas por dentro pelas direções impostas! Nossas escolas estão perdendo a autonomia pedagógica essencial para o bom trabalho dos professores! Escola pública não é empresa capitalista e nem pode ser! Assim sendo, chega de metas a bater, não queremos certificação (nem para aluno nem para professor). Somos concursados, já fomos há muito certificados, logo, a Seeduc deve conceder reajuste já ao invés de bônus! Como alguém disse numa dessas assembleias sindicais, nós não somos telefones celulares para viver de bônus! Chega de autoritarismo, queremos eleições nas escolas! Chega de ser torturado pelo conexão-professor, que é assédio moral! Chega de determinar que o currículo deve ser o mínimo! Chega de turmas lotadas! Chega de PM dentro das escolas. Chega de terceirizações! Chega de otimizar turmas e fechar escolas! Chega de aprovação automática, que no Estado se dá via corrupção - bônus e liberalismo - que cria um tipo de aluno descompromissado, preguiçoso, vazio e erradamente posto no centro do processo educativo. Chega de ter disciplina com um tempo de aula (como fizeram com sociologia e filosofia). Não deixe a autonomia da escola ser engolida pela Globo e seu 'projeto autonomia'! Fora Fundação Roberto Marinho! Fora Fundação Bradesco! Fora Fundação Xuxa!

Não esqueçamos o que dizem as vozes das ruas: 'O povo não é bobo, abaixo à Rede Globo!' ou 'A verdade é dura, a Rede Globo apoiou a ditadura!'. A mídia não tem condições de oferecer ensino formal! Ela quando muito tratará os alunos como massa, conceito sociológico que significa que todos receberão a mesma informação em todas as escolas sem a menor chance de discuti-las. Ataquemos também o idealizador de toda essa esparrela: Fora Banco Mundial! Estamos colocando muito o foco no Cabral. Certo! Mas, que tal melhorarmos essa palavra de ordem: 'Fora Cabral e o Banco Mundial!' Sim, pois tenho visto muita gente 'capa-preta' de sindicato fazendo discurso do Banco Mundial! Aquele discursinho do capital humano ('aperfeiçoando a educação, desenvolveremos o país economicamente'). Sejamos freirianos e ampliemos a compreensão deste importante pedagogo brasileiro no que tange a sua recomendação de repúdio à concepção 'bancária'.

Reiteramos! Defenda a Educação Pública! Nossa população mais pobre (cerca de 150 milhões dos 200 milhões de brasileiros) precisam estudar em escolas de qualidade! A escola é sua, é nossa, é das futuras gerações! Participe de nossas manifestações, defenda os seus direitos constitucionais e dos seus familiares a uma Educação Pública, gratuita e de qualidade! A greve é um direito do trabalhador oprimido! Estamos em greve para por abaixo a política neoliberal de desmonte da educação pública (Cabral fechou centenas de escolas estaduais em menos de 7 anos) levada a cabo através do Plano de Metas, implementado por Risolia, Cabral, TV Globo (beneficiária direta do projeto autonomia) e Banco Mundial (que patrocina e orienta tudo isso)!

Neste domingo, dia 22/09/13, faremos uma passeata do Leblon até Copacabana a partir das 10h. E no dia 26/09/13, faremos assembleia em local fechado no Centro do Rio. O acampamento em frente a ALERJ continua. Apóie! Participe! (veja mais detalhes em http://www.seperj.org.br/)

Queremos seguir a greve com você! Vamos juntos! Professores, funcionários, alunos, pais de alunos e população em geral! Rumo à vitória! Até derrubar Risolia e seu projeto do Banco Mundial!

Portanto, VEM PRA RUA CONOSCO, A ESCOLA PÚBLICA É DO POVO! E A GREVE É PARA DEFENDER ESSE DIREITO!

Renato Fialho Jr.